Quinta, 18 Setembro 2014 11:49

Em Nova União, 68 pessoas doam sangue e 38 querem doar medula

Publicado por
Avaliar
(0 Votos)

Doação Sangue1Cartaz incentiva o ato de doar

Mais uma vez Nova União atendeu ao chamado do Projeto Vida por Vidas da Igreja Adventista, visando doação de sangue. A iniciativa foi apoiada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsau). A doação aconteceu na Câmara de Vereadores da cidade, devidamente adaptada com instalação de seis leitos hospitalares para recepcionar os doadores de forma confortável e segura.

Doação Sangue2Os doadores foram recepcionados no hall de entrada da Câmara de Vereadores

De acordo com Ieda Maria Pinheiro, enfermeira em Nova União e da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (FHEMERON)/Hemocentro de Ji-Paraná, mais de 100  pessoas compareceram à Câmara Municipal, durante esta terça-feira, 16 de setembro, das 8h00 às 16h00. Segundo Vicente Lopes Soares, ancião da Igreja Adventista, a doação atingiu o montante de 68 bolsas de sangue com 450 ml.

Medula óssea – Alguns esclarecimentos sobre a doação:

Os interessados em doar somaram 38 pessoas, que passaram pela coleta da amostra de sangue para testes. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA) qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5 a 10 ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente. Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante. Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.

Doação Sangue3O plenário da Câmara foi transformado num mini-hospital para atender aos doadores com conforto

Doação Sangue4Outras profissionais da saúde atuaram no mini-hospital, cumprindo também funções técnicas e burocráticas 

Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de UMA EM CEM MIL! Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação. Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte. A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo. É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato. – diz o site do INCA.

Fonte das informações sobre medula óssea:

http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=64

 

Texto e Fotos: Anfrízio Santana – Jornalista – MTb-SP: 59.957 – (69) 3466-1122 ou 8107-0775 – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.Assessoria de Comunicação – Prefeitura Municipal de Nova União  – RO